sábado, 15 de novembro de 2014

Punheta na casa do amigo

A melhor coisa da adolescencia é poder fazer tudo sem medo, sem juízo, sem preconceito, sem responsabilidade e muitas vezes só percebemos o que fizemos quanto está feito, ainda, assim não nos culpamos por isso. Essa história (verídica) acontece comingo por volto das 16 anos de idade, marava em um bairro de classe baixa/média, ficava o dia inteiro na rua brincando, jogando bola, brigando, era um verdadeiro capeta de muleque. Hoje esotu com 26 anos, magro, alto, atleta, gostoso, loiro, olhos claros. Tinhamos um grupinho de amigos que fazia-mos quase de tudo juntos, inclusive bater punheta, sempre na casa de um amigo, assistindo filmes pornôs, essa era nossa especialidade, uma putaria só mas sempre cada uma na sua sem homossexualismo, timos até 2 amigas da mesma rua que volta e meia faziamos suruba com elas numa construção próximo da nossa casa (hoje as duas estão lindas e muito mais gostosas). No verão a exitação aumentava, iamos a riozinhos e nadavamos todos pelados, as meninas só de calcinha e sutiã, era pau duro pra tudo qualquer lado. O fato ocorrido aconteceu numa tarde de domingo de muito calor, estava em casa me mastubando assistindo a banheira do gugu, aquelas gostosas só de biquini naquela esfregação, eu não resistia. Nisto o Roberto me chama, eu saio de pau duro pra recebê-lo no portão e ele percebe meu pau duro, e me chama de punheteiro, eu respondo pra ele: lógico com esse calor e aquelas gostosas da banheira do gugu só podia dar nisso. Logo o Roberto me convida pra assistir um filme pornô que o pai alugou e ele achou escondido, fomos, chegando lá ele coloca um filme de racial, uma puta loira gostosa cavalgando no pau do negão, eu fiquei louco só de ver aquela cena, o roberto fala pra eu ficar a vontade, sento no carpete e enconsto no sofã e fico alisando minha pica por cima do short, meu pau está super duro, falo pro Roberto, ele diz pode bater uma punheta mas não goza no carpete que vai ser foda limpar. Tiro minha camisa quando abaixo o short meu pau pula pra fora duro que chega a bater na barriga enconsto novamente no sofá e fico fazendo movimentos de cima pra baixo e assistindo o filme. Logo em seguida o Roberto também tira seu short e cueca, seu pau pula pra fora tbm super duro, ele senta ao meu lado e fica alisando o pau dele, seu pau tem 17x5, pelos pretos, cheio de veias, cabeça grande e roxa, o meu tem 16x5, branco, pelos claros, reto. Ficamos assistindo o filme e comentando sobre as loiras gostosas durante uns 20 minutos e nada de gozarmos, então o Roberto pergunta se eu demora pra gozar eu digo que sim e ele fala que está quase gozando, passado uns 3 minutos + ou – o Roberto começa a estremecer e avisa q vai gozar, enão ele começa gozar, sai tanta porra que não da nem pra acreditar, a porra dele sai com tanta força que chega a acertar seu pescoço, ele lambuza todo seu peito e sua barriga com sua porra que parece que ele tomou um banho, entao ele começa a passar com a mão a porra no peito e na barriga pra espalhar, isto me da um tesão que até me estranho, meu pau quase explode, nisto ele levanta e vai tomar banho pra se limpar e eu continuo com minha punheta de boa. Quando o Roberto volta com sua pica meio dura e balançando, ele pergunta se eu não vou gozar, eu digo estou quase, ele pergunta se eu preciso de ajuda pra gozar, eu olho pra ele e ele segurando seu pau meio duro me olhando com cara de safado eu fico assustado e pergunto se ele tem coragem e responde que sim pois estamos só nos dois aqui e não contamos para ninguém. Nossa que tesão, ele senta do meu lado seu pau já ta super duro, daí ele pega no meu pau, nesta hora que quase gozo, sua mão estava quente, grossa pegando meu pau e fazendo movimentos de vai e vem aquilo eu guase gozeo, da eu fico olhando sua mão me punhetando e seu pau pulsando de tão duro e tesão que ele estava sentindo e resisti e não peguei no seu pau, pois não tive coragem, daí o Roberto me confidenciou que já pegou e chupou o pau de um amigo nosso, mas ele não contou quem era pra preservar sua integridade e disse que ele tinha um pau de 21x5,5 enorme e que ele ficou com tanto tesão que ele até chupou o pau do meu amigo eu não estava nem acreditando na hitória, mas também depois dessa eu não ia perder a chupada dele e pedi se ele poderia chupar meu pau, o roberto nem respondeu passou a lingua na cabeça do meu pau que eu guase gozei, sua lingua era grossa, aspera, quente, aquilo cheguei até gemer de tesão a boca do Roberto estava me levando as nuvens, ele ainda ficava passando a mão nas minhas coxas e alisando as bolas do meu saco, ele chupava com tanta força e vontade que nem uma das nossas coleguinhas de suruba conseguiam fazer. Eu já não aguentava mais e falei pra ele que ia gozar, ele começo a sugar meu pau e apertar as bolas do meu saco, meu pau deu uma esporrada tão forte que foi direto no fundo da sua garganta o roberto até deu risada e continuou a chupar e engolir toda minha porra era a sensação mais gostasa que eu tinha sentindo até então e a melhor chupada que eu recebei, O Roberto não deixou nem uma gota de porra pra fora, ele me falou que adorava sentir o gosto da porra em sua boca, daí eu levantei e fui pra o banheiro jogar uma água no corpo, o Roberto veio junto comigo e ficou na porta, falando que tinha gostado muito da nossa punheta e poderiamos fazer mais outros dias e que ele tinha vontade de dar o cu pra ver como era, ele disse que já tentou com o outro amigo nosso mas o pau dele era muito grande e doeu muito, e o meu era menor e ia entrar mais fácil, nisto meu pau ficou duro novamente e ele disse que poderia ser agora embaixo do chuveiro eu disse que naquele dia não pois eu nunca tinha feito isto e não estava preparado e eu poderia ser outro dia ele ficou meio chateado mas aceitou, eu falei pro Roberto que ele tinha deixado a cabeça do meu pau até ardendo de tanto chupar e riu e que o pau dele também estava até e ardendo mas o cuzinho é que tava piscando de vontade de sentir rola do cu. Eu vesti minha roupa e fui embora. Boas foram as tardes de domingo de verão que passei na adolescencia, bom mais pra frente eu conto como comi o cu do Roberto e a emprega da minha vó dentre outras loucuras que relizei até hoje.